Dicas de prevenção para curtir as festas de fim de ano em plena pandemia

Logo no começo da pandemia, as dúvidas sobre como seriam as comemorações e celebrações do ano já permeavam todos nós. Afinal, o sentido de festejar é compartilhar algo muito importante com pessoas queridas. Porém… como fazer isso em pleno isolamento?   

Ao longo de 2020, então, foram feitas videoconferências, carreatas nos portões das casas das pessoas, reuniões ao ar livre e por aí vai. A melhor parte disso tudo é que nossa criatividade superou todas as dificuldades, o que nos deu um “ar de esperança” logo nos primeiros meses. 

Com o passar do tempo, no entanto, todos esses cuidados, somados aos protocolos de segurança, tornaram-se cada vez mais negligenciados e relaxados. O comércio retomou suas atividades, as pessoas voltaram ao trabalho e as aglomerações… bem… os números da COVID-19 falam por si próprios. 

Não se sabe se é porque a doença, em si, já não é tão novidade para nós, ou porque o isolamento se mostrou relativamente eficaz (enquanto todos permaneciam dentro de suas casas). Ou até mesmo porque as vacinas já estão a um passo de serem aplicadas. O grande problema é que estamos, praticamente, voltando à estaca zero (se é que já não chegamos lá).

Neste fim de ano, então, antes de começarmos a organizar nossas ceias e festas, precisamos pensar no próximo. Acredite: estarmos juntos às pessoas que amamos não é o problema. O problema é não fazermos isso de forma consciente e segura.

Pensando nisso, preparamos algumas dicas de como comparecer a todas as festas de natal e ano novo na pandemia de forma segura para si mesmo, e para os outros. Vamos lá?

Tire todas suas dúvidas sobre o Covid-19

Para ajudar você, preparamos um texto de perguntas e respostas para responder as dúvidas mais comuns sobre a COVID-19. Nestas informações você pode confiar!

1. Estabeleça um acordo com todos os envolvidos 

Em um contexto pandêmico como este em que vivemos, todo combinado é muito bem-vindo. Para proteger todos os membros e amigos da família, tentem estabelecer algumas regras como, por exemplo:

  • Ao invés de reunir todos os núcleos da família, mantenham as festas menores e façam uma videoconferência entre os grupos. Assim, todos conseguirão aproveitar o momento juntos, com segurança;
  • Se possível, organizem um evento em lugares abertos como sítios, quintais, garagens e salões de festa espaçosos. Caso a festa tenha que ser feita dentro de casa, escancare todas as janelas e certifique-se de que o espaço de convivência seja grande o suficiente para que todos consigam manter uma distância segura;
  • Uma excelente opção, se for viável, é que todos fiquem de quarentena 15 dias antes da confraternização.

2. Cuidados pessoais

Sempre tenha um álcool em gel em mãos e, caso o uso de máscaras incomode durante a celebração, opte pelo face-shield, ou mantenha uma distância segura das pessoas. Em caso de deslocamento, sempre use máscara. 

A questão dos abraços, apertos de mãos e beijos ficam à cargo de cada núcleo. Nossa recomendação é que todo contato direto seja evitado, mas sabemos o quanto isso pode ser difícil para algumas pessoas. 

Sobre a ceia: evite ao máximo conversar ou falar algo perto da mesa e, se possível, mantenha tudo coberto.

Com relação à entrega/troca de presentes: limpe as mãos antes de pegar nas embalagens e, logo após abri-las, faça mais uma rodada de limpeza. Além disso, durante esse processo, evite colocar as mãos no rosto.


3. Cuidados gerais 

Imaginamos que, a essa altura do campeonato, todos saibam exatamente o que fazer para evitar a propagação do vírus. Porém, não custa nada lembrar os pontos principais:

  • Mantenha a etiqueta. Antes de tossir ou espirrar, cubra o rosto com o antebraço;
  • Caso você opte pelo uso de máscara, lembre-se de trocá-la por uma nova e higienizada a cada duas horas;
  • Evite levar as mãos à máscara, e certifique-se de que ela esteja cobrindo o nariz e a boca;
  • Se possível, use óculos para proteger os olhos.

Em que a gripe é diferente do resfriado e da COVID-19?

Antes de começar a falar sobre a gripe, é importante entender a diferença entre ela e outras infecções respiratórias comuns. Apesar de terem muitos sintomas semelhantes, a gripe, o resfriado e a COVID-19 são causadas por vírus diferentes e cada uma tem suas particularidades.

E, por fim: boas festas! 


Que 2021 seja repleto de saúde, consciência coletiva e vacinas para todos nós!

Um abraço, e até o ano que vem.   

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Leia também:

Siga nossas redes sociais: