Coronavírus: tire suas dúvidas sobre o COVID-19

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Provavelmente, você ouviu falar muito sobre o Novo Coronavírus(COVID-19) nas últimas semanas. Porém, é preciso ficar alerta! Existem muitas fake news, ou seja, notícias falsas sobre o assunto. Não confie em qualquer conteúdo que circula nas redes sociais e na internet.

Para ajudar você, preparamos um texto de perguntas e respostas para responder as dúvidas mais comuns sobre essa nova doença, a COVID-19. Nestas informações você pode confiar!

1. Como está a situação do Novo Coronavírus no Brasil?

A Organização Mundial de Saúde (OMS) classificou a COVID-19 como uma pandemia, ou seja, ela já se espalhou por vários continentes.

O número de casos registrados em cada país pode ser consultado, em tempo real, nesse link. Até o momento da atualização deste texto, eram mais de 600 casos e sete mortes registrados no Brasil.

Quer acompanhar as atualizações do Boletim do Ministério da Saúde?

2. Afinal, o que é o novo coronavírus?

O novo coronavírus faz parte de uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias de leves a moderadas. Ele foi descoberto em dezembro de 2019, na China, e se espalhou rapidamente para outros países.

3. Como é a transmissão do coronavírus?

A transmissão do novo coronavírus de pessoa para pessoa, por meio de:

  • contato direto com o paciente infectado (toque ou aperto de mão, por exemplo);
  • gotículas respiratórias (transportadas para o ambiente por meio da fala, tosse e espirro) e secreções da pessoa contaminada. As microgotículas contendo o vírus podem atingir uma distância de até 1,8 m;
  • contato com superfícies e objetos contaminados, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos. A desinfecção das superfícies com álcool a 70% ou hipoclorito de sódio a 0,1%, durante 1 minuto, reduz significativamente o risco de transmissão.

O coronavírus é um vírus que se espalha com muita facilidade. Estima-se que cada doente infecta outras 2 a 3 pessoas.

Como em outras infecções respiratórias, as pessoas são mais contagiosas quando apresentam sintomas, especialmente nos primeiros dias da doença. Porém, na COVID-19, um paciente infectado e ainda sem sintomas também pode transmitir a doença.

4. Quais são os sintomas da doença causada pelo coronavírus?

Na maioria das pessoas, o novo coronavírus causa doenças respiratórias leves a moderadas, parecidas com de uma gripe ou um resfriado comum:

Os principais são sintomas são:

  • febre;
  • tosse (seca ou não);
  • dor de garganta;
  • dificuldade para respirar;
  • fadiga ou dores musculares.

Porém, alguns pacientes podem apresentar quadros graves com dificuldade respiratória, insuficiência renal e até mesmo a morte.

Os pacientes que mais correm risco de desenvolver complicações graves da COVID-19 são os idosos e as pessoas com o sistema imunológico comprometido.

5. Se eu contrair o coronavírus, depois de quantos dias irei apresentar sintomas?

A infecção pelo coronavírus tem um período de incubação que pode variar de 2 a 14 dias. Isso significa que ele pode ficar até duas semanas no seu corpo sem provocar sintomas.

6. O que fazer se apresentar algum sintoma?

Pessoas com sintomas leves, mesmo se suspeitarem de COVID-19, não devem se dirigir ao hospital, mas ficar em casa, em isolamento pois Hospitais e Prontos-socorros são locais em que se aumenta a chance de encontrar pessoas com a infecção. É importante fazer repouso, tomar bastante água e, se necessário, usar analgésicos e antitérmicos.

Procure atendimento apenas se apresentar sintomas graves, como dificuldade respiratória e/ou febre alta associada a sintomas de gripe.

Se você tem sintomas graves e tem o plano de saúde da Promed, procure o hospital mais próximo de você.

7. Estou com sintomas de gripe, mas são leves. Devo procurar atendimento e/ou fazer o exame de Coronavírus?

Nessa época do ano há outros vírus, sem gravidade, que podem provocar tosse e sintomas de gripe.  Se você não tem falta de ar ou febre alta, o melhor é ficar em casa.  Se houver piora procure atendimento médico, evitando os serviços de urgência a não ser que esteja com falta de ar, febre alta ou tosse muito forte.

8. Quais são os locais indicados para atendimento de quem suspeita de coronavírus?

Pessoas com sintomas leves, mesmo se suspeitarem de COVID-19, não devem se dirigir ao hospital, mas ficar em casa, em isolamento pois Hospitais e Prontos-socorros são locais em que se aumenta a chance de encontrar pessoas com a infecção. É importante fazer repouso, tomar bastante água e, se necessário, usar analgésicos e antitérmicos.

 Procure atendimento apenas se apresentar sintomas graves, como dificuldade respiratória e/ou febre alta associada a sintomas de gripe.

Se você tem sintomas graves e tem o plano de saúde da Promed, procure o hospital mais próximo de você.

9. O novo coronavírus (COVID-19) pode matar?

A taxa de mortalidade na COVID-19 varia de acordo com a idade do paciente e se ele apresenta outras doenças. Pacientes fumantes, obesos, portadores de câncer, hipertensão arterial, diabetes, doenças respiratórias crônicas e cardiovasculares costumam ter quadros mais graves.

Levando-se em conta todos os casos da doença, a taxa de mortalidade gira em torno de 1 a 3%.

Faixa de idadeTaxa de Mortalidade
10-19 anos1,2%
20-29 anos0,2%
30-39 anos0,2%
40-49 anos0,4%
50-59 anos1,3%
60-69 anos3,6%
70-79 anos8,0%
80 anos ou mais14,8%

10. Existe tratamento para o coronavírus?

Ainda não existe tratamento específico para o novo coronavírus. Vários medicamentos estão na fase de testes, porém não foram aprovados ainda.

Os casos leves de COVID-19 devem permanecer em isolamento domiciliar e utilizar máscara cirúrgica durante 7 dias a partir do início dos sintomas. Os familiares em contato com o doente também devem utilizar máscara cirúrgica.

Importante: Não utilizar antiinflamatórios não esteroides (ex: ibuprofeno), visto que foram associados a casos mais graves da doença.

No caso dos pacientes internados, estão indicadas medidas gerais e de suporte respiratório.

11. Se o diagnóstico para a Doença do Coronavírus for “Positivo” o tratamento tem cobertura pela Operadora?

O tratamento hospitalar para o Coronavírus (ou seja, aquele realizado dentro do Hospital) tem cobertura pelo plano de saúde. Além disso, você também pode contar com consultas médicas e exames relacionados à doença, realizados na rede credenciada do seu plano.

12. Pessoas que não estão doentes, mas que tem o coronavírus podem transmití-lo?

Essa possibilidade existe, mas é baixa até onde se sabe.  Os maiores transmissores são as pessoas com o vírus e que tossem, espirram e não tomam os cuidados de prevenção.  Um dos locais de maior risco de transmissão são os pronto socorros, pois lá estão as pessoas mais doentes.

13. Tive contato com uma pessoa que está gripada, mas não sabe se tem ou não Coronavírus. O que devo fazer?

É importante sempre lavar as mãos com frequência e tomar os cuidados recomendados para a prevenção.  Procure se informar como essa pessoa evoluiu e se foi diagnosticada a infecção pelo coronavírus, evite sair de casa por sete dias desde o contato inicial.  Se você começar a ter sintomas procure atendimento médico, evitando os serviços de urgência a não ser que esteja com falta de ar, febre alta ou tosse muito forte.  Se não tiver mais notícias daquela pessoa, apenas observe se você terá sintomas.

14. Como prevenir o coronavírus?

A primeira medida para impedir a proliferação de uma epidemia é o isolamento social. Porém, para que ele funcione, é essencial que toda a população se conscientize e siga as recomendações:

  • Evite locais com aglomeração de pessoas (igreja, academia, cinema, teatro, elevadores, transporte público etc);
  • Cancele todos os eventos sociais (festas, congressos etc);
  • Suspenda as aulas em escolas e faculdades;
  • Reagende consultas e cirurgias eletivas;
  • Trabalhe de casa, quando possível;
  • Nos momentos em que for preciso sair de casa, mantenha um afastamento de 2 metros das outras pessoas;
  • Suspenda viagens nacionais e internacionais por, pelo menos, 90 dias;
  • Pessoas chegando do exterior, mesmo sem sintomas, devem ficar em isolamento domiciliar por 7 dias;
  • Contatos próximos de casos confirmados devem se isolar em casa por 14 dias usando máscara cirúrgica;
  • Pacientes com sintomas gripais devem ser isolados no domicílio e usar máscara cirúrgica;
  • Idosos devem ficar em casa nos próximos 60 dias, sem receber visitas, especialmente de pessoas com sintomas gripais.
  • Se estiver na mesma casa com uma pessoa doente, use máscara cirúrgica.

Além disso, siga também as recomendações padrões e essenciais:

Higienize as mãos com frequência, ainda mais quando voltar da rua ou antes de fazer uma refeição (água e sabão ou álcool gel);

Evite contato próximo com pessoas com sintomas de doenças respiratórias

Proteja o nariz e boca quando espirrar ou tossir, sem utilizar diretamente as mãos (use um lenço descartável ou o próprio braço

Evite tocar na boca, nariz e olhos sem lavar as mãos

Jamais compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas. Além disso, não utilize bebedouros.

Mantenha os ambientes bem ventilados

Os profissionais de saúde que permanecem na linha de frente, atendendo urgências e emergências, incluindo casos suspeitos de Novo Coronavírus, devem utilizar medidas de precaução como máscara, luvas, avental descartável e óculos de proteção.

15. Devo usar máscara ao sair de casa?

O uso de máscara só está indicado para pessoas doentes e para profissionais de saúde em atendimento.  O mais importante é tomar cuidado com as superfícies que podem ter sido contaminadas e evitar contato com pessoas doentes. Lembre-se também de lavar as mãos frequentemente.

16. Posso tomar remédios caseiros se estiver com sintomas de gripe?

O uso de dipirona e paracetamol parece ser seguro, mesmo em casos de coronavírus.  Como estamos em época de outras infecções, inclusive Dengue, qualquer outra medicação deve ser orientada pelo médico.  Se você usa medicamentos para doenças crônicas como diabetes, insuficiência renal, insuficiência cardíaca ou corticoides como prednisona, procure orientação médica. Mas, lembre-se de evitar os serviços de urgência a não ser que esteja com falta de ar, febre alta ou tosse muito forte.

 

17. A operadora está cobrindo o “exame de Coronavírus”?

SIM. A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar, que regula a atuação das Operadoras de Saúde) incluiu o exame de detecção do Coronavírus no Rol de Procedimentos obrigatórios para beneficiários de planos de saúde, a partir do dia 13/03/20. Além disso, a ANS determinou em quais situações o usuário do plano de saúde terá direito à realização do exame para detectar o Coronavírus.

18. Fui atendido(a) no pronto socorro e não fui diagnosticado(a) com coronavírus, só que continuo tossindo, o que devo fazer?

Nessa época do ano há outros vírus, sem gravidade, que podem provocar tosse e sintomas de gripe.  Se você não tem falta de ar ou febre alta, o melhor é ficar em casa e seguir as orientações dadas pelo médico.  Se houver piora nos sintomas, procure atendimento médico, evitando os serviços de urgência a não ser que esteja com falta de ar, febre alta ou tosse muito forte.

Confira também o nosso Guia Completo

com tudo o que você precisa saber sobre o novo coronavírus