Câncer de mama: sinais, sintomas e diagnóstico

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Conhecer bem cada região das próprias mamas e examiná-las de vez em quando, é essencial para prevenir uma série de doenças relacionadas a elas. 

É claro que os check ups de rotina são muito importantes, mas e se alguma alteração surgir no intervalo entre as consultas? Nesse momento, o auto exame pode salvar a sua vida!

Conhecer as mamas e saber detectar possíveis sinais e sintomas do câncer de mama é essencial para que pequenas alterações sejam percebidas e o mastologista possa avaliar e intervir precocemente.

Como muitos de vocês, queridos leitores, já sabem, o sinal mais comum da doença é o nódulo. Porém, existem muitos outros detalhes que indicam se a doença é benigna ou maligna e é sobre eles que vamos falar hoje. 

 

Sinais e sintomas do câncer de mama 

Embora um nódulo na mama seja tipicamente associado ao câncer, na maioria das vezes ele é benigno. No mais, os primeiros sinais de câncer de mama incluem:

  • Mudanças no formato do mamilo;
  • Secreção mamilar cristalina ou “sanguínea” (principalmente espontânea);
  • Vermelhidão, inchaço, irritação da pele, coceira ou erupção na mama inexplicáveis;
  • Um nódulo duro e irregular que não desaparece após a menstruação;
  • Nódulos ao redor da clavícula ou na axila.


Em estágios mais avançados da doença, seus sintomas são: 

  • Retração ou inversão do mamilo;
  • Aumento da mama;
  • Irregularidades na pele da mama;
  • Aumento de um nódulo já existente; 
  • Pele do seio com uma textura semelhante à “casca de laranja”;
  • Gânglios linfáticos aumentados na axila.

Atenção: ter um ou mais desses sintomas não significa, necessariamente, que você tem câncer de mama. A secreção mamilar, por exemplo, também pode ser causada por uma doença benigna. Portanto, não sofra sem necessidade. Caso haja uma alteração suspeita em seus seios, consulte o(a) seu(sua) mastologista.

 

Tipos de câncer de mama 

Existem duas categorias de câncer de mama:

  • Não-invasivo: é o tumor restrito aos ductos mamários.
  • Invasivo: é o tumor que invade os tecidos adjacentes. 

 

A título de curiosidade, o tecido afetado determina o tipo de câncer:

  • Carcinoma ductal: é o tipo mais comum de câncer de mama. O tumor, aqui, se forma no revestimento dos dutos mamários; 
  • Carcinoma lobular: é formado no lóbulo da mama, local onde o leite é produzido; 
  • Sarcoma: tumor raro que se forma no tecido conjuntivo da mama;
  • Doença de Paget da mama: começa nos ductos e, com o tempo, acomete a pele e a aréola do mamilo;
  • Tumor fibroepitelial (filodes): é um tipo muito raro de tumor de mama que cresce no tecido conjuntivo. A maioria destes tumores é benigna, porém, existem exceções;
  • Angiossarcoma: é o câncer que se desenvolve nos vasos sanguíneos ou linfáticos da mama.

 

E, por fim: como é feito o diagnóstico do câncer de mama? 

O primeiro passo para o diagnóstico do câncer de mama é um exame físico, feito durante a consulta com o mastologista. Nele, o especialista examina os seios em busca de nódulos e anormalidades, e verifica se há secreção nos mamilos. 


Para a confirmação do diagnóstico, é muito provável que os seguintes exames sejam solicitados:

  • Mamografia (uma espécie de radiografia da mama);
  • Ultrassom das mamas e axilas;
  • Ressonância magnética;
  • Biópsia (consiste na remoção de uma pequena quantidade do tecido mamário para ser testada).

Texto: Omar Filogônio | Mastologista | CRM-MG:25.784

Outubro Rosa 2020: coparticipação zero para mamografia

Participe 01 a 31 de outubro de 2020.
Consulte as regras da campanha.

Leia também:

Siga nossas redes sociais: