Sarampo: saiba mais sobre o sarampo, sintomas e vacina

O sarampo já estava erradicado no Brasil, mas volta a ser uma preocupação no país e no mundo. Apesar de existir vacina contra a doença, o sarampo continua sendo uma das principais causas de morte de crianças menores de 5 anos de idade em todo o mundo. No país, dados preliminares de 2018 mostram que muitas cidades não alcançaram a meta de 95% de vacinação contra o sarampo, de acordo com o Ministério da Saúde. Por isso, embora ainda não tenha casos confirmados de sarampo em Minas Gerais até o momento, é essencial manter a vacina em dia para prevenir a doença.

Situação do sarampo no Brasil:

Até o momento, foram registrados surtos de sarampo nos estados do Amazonas e Roraima. Também foram confirmados casos da doença em nove estados: Pará, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Pernambuco, Sergipe, São Paulo, Rondônia e Bahia e um caso no Distrito Federal, totalizando 10.302 casos confirmados e 12 óbitos desde fevereiro de 2018 até 21 de janeiro de 2019.

Sarampo e transmissão

O sarampo é uma doença grave e altamente contagiosa, causada por um vírus. Sua transmissão acontece por meio de contato direto e pelo ar. Ou seja, é propagada através do contato com secreções eliminadas quando a pessoa doente fala, tosse, espirra ou respira.

Saiba quais são os sintomas do sarampo:

sintomas sarampo

Os casos graves são especialmente mais frequentes entre crianças pequenas com má nutrição e entre pessoas com deficiência de vitamina A ou cujo sistema imunológico esteja enfraquecido pelo HIV/AIDS ou outras doenças.  

Ao sinal de qualquer sintoma, procure um atendimento médico.  Se você tem o plano de saúde da Promed:

Tratamento

Não existe tratamento específico para o sarampo.  O importante é aliviar os sintomas com repouso e muita hidratação.

Prevenção e vacina contra o sarampo

A vacina contra o sarampo é a maneira de prevenir a doença. A vacina está disponível durante todo o ano nos postos de saúde em todo o país.

Quem deve se vacinar?

1 ano

Crianças de 1 ano precisam receber a primeira dose da vacina tríplice viral, que protege contra o sarampo, rubéola e caxumba.

1 ano e 3 meses

Segunda dose com a vacina tetraviral, que protege contra o sarampo, rubéola, caxumba e varicela.

5 a 29 anos

Se não tomaram a vacina (tríplice ou tetraviral) anteriormente, devem receber duas doses da vacina tríplice viral.

30 a 49 anos

Se não tomaram a vacina (tríplice ou tetraviral) anteriormente, devem receber uma dose da vacina tríplice viral.

Acima de 50 anos

Neste caso, o médico é quem deve analisar se há indicação ou não da vacina, de acordo com o histórico do paciente, situações de surto ou viagens. 

Lembre-se que vacinar é proteger!

Então, garanta que a sua vacinação e da sua família esteja em dia.

Texto: Centro de Atenção à Saúde Promed
Fontes: Ministério da Saúde | ANS | OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde)